Sabe quantos gênios são aleijados pelo sistema educacional, por não conhecermos a última fronteira da ciência?

Centenas de milhares.

Sabe quantos filhos? Filhos de vocês, também estão asfixiados por esse sistema cartesiano que só se preocupa com o resultado das provas, mas não leva em consideração o ser humano como construtor de conhecimento e como pensador. Inúmeras e inúmeras pessoas. Até hoje, milhões e milhões de pessoas com alto potencial para ser uma mente brilhante, um profissional que faz a diferença, um pai, uma mãe rico, um educador que forma pensadores. Até hoje essas pessoas vivem asfixiadas. Elas têm medo de andar por áreas nunca antes respirados; por isso eu gostaria que vocês recitassem essa tese para que o teu Eu deixe de ser tímido no único lugar que ele deveria ter autoridade para ser senhor da própria história, dentro de si mesmo, recite essa tese: Quem vence sem riscos, triunfa sem glórias. Eu não conheço a sua história e não pesquisei a sua personalidade, eu não sei das suas deficiências, das suas falsas crenças, mas eu conheço muitas pessoas. Atendi milhares de pessoas e nunca encontrei alguém que conseguiu libertar todo o seu potencial criativo. Muitas vezes as pessoas apenas exercitam 10 ou 20 ou 30% seu potencial criativo no máximo. O senso comum diz: o ser humano usa só 10 ou 20 por cento a sua memória, isso é um erro crasso. Ele usa excessivamente a sua memória, inclusive para pensar bobagens, para sofrer por antecipação, para ruminar o passado, para se alto punir, para ser impulsivo e para desenvolver crise de ansiedade.

Na verdade o que nós não usamos, são as habilidades do Eu para nós nos reinventarmos, pensarmos antes de reagir, para nos colocarmos no lugar dos outros, para entendermos que quem vence sem riscos, triunfa sem glórias.

Vocês podem e devem ir muito mais longe na sua profissão do que vocês jamais imaginariam; se não forem tímidos, conformistas, se aprenderem a sair da platéia usando a metáfora do teatro: entrar no palco da sua mente e dizer: eu serei o ator ou atriz principal, eu quero libertar meu imaginário para cumprimentar os meus colegas de maneira diferente, para abraçar mais, para propor idéias, para desenvolver o conhecimento que influencia e que impacta as pessoas ao redor. Você impacta seus filhos? Impacta sua parceira ou parceiro? Ou quando você chega nada acontece, seus filhos querem ir para o quarto, porque vocês são entediantes. A sua esposa, o parceiro não aguenta mais que você repita as mesmas palavras, as mesmas reclamações. Vocês influenciam seus colegas de trabalho ou quando você chega, você é mais uma pessoa, independente de ter um cargo de chefia, de executivo ou não. A maioria das pessoas são comuns demais, são entediantes demais, vivem sequestradas em pequenas áreas da memória, elas têm uma cidade incrível, tem milhões de dados que poderiam ser utilizados para construir pensamentos ousados, brilhantes, para arrebatar, provocar, encantar quem está ao seu redor, mas infelizmente elas não têm gestão da emoção, o Eu delas é um Eu aprisionado.

 

AUGUSTO CURY

Leave a Reply