” Toda vez que você cobra demais dos outros, cobra demais de si, você está atribuindo a um pensamento, uma realidade que ele não tem”.

Acontece o seguinte: o pensamento consciente é virtual, ele não é real como as pessoas frequentemente acreditam.
O pai quando da uma bronca no filho, ele acha, é o virtual, o pai acha que o pensamento é real. Ele julga, crítica, ele constrange a persona, como se ele fosse capaz de entender exatamente o que os filhos sentem.
Os professores também, quando se estressam muito numa situação conflitante em sala de aula, às vezes expõe publicamente o erro de um aluno o que é um outro erro mais dramático.
Nós devemos elogiar em público sempre e corrigir em particular, nunca fazer o contrário. E toda vez que formos corrigir, temos que elogiar a pessoa que erra mais do que o seu próprio erro, para oxigenar a mente pra que eles possam educar a partir da nossas observações.
O que eu quero dizer é que o pensamento por ser virtual ele não dá direito das pessoas serem críticos excessivamente, serem pressionadores, apontadores de falhas, como se fossem deuses, juízes que têm um julgamento irrefutável.
O pensamento por ser virtual ele não incorpora a realidade objeto pensado, então você entende o outro a partir de si mesmo e não a partir dele mesmo.
Então você tem que se esvaziar dos seus preconceitos, do seu tendencialismo, às vezes dá da sua arrogância, tem que se esvaziar da sua necessidade ansiosa de querer que os outros sejam a sua imagem e semelhança. Quando você se esvazia de si mesmo, você pode se aproximar daquilo que acontece dentro do outro, interpretar de maneira mais profunda. Mas no mundo todo, as pessoas não têm consciência que o pensamento é virtual. Na china, no Japão, na Europa e nas Américas as pessoas acham que o pensamento lhes dá direito de estarem num trono.
Toda vez que você está no trono apontando o dedo para alguém, se aponta três dedos para si.
Por favor se esvazie o máximo possível de si, critique: será que eu não estou sendo algoz, um carrasco, será que não estou cobrando demais as pessoas ao meu redor, será que não estou cobrando demais de mim. Porque o pensamento por ser virtual, milhões de pessoas, inclusive pessoas tímidas, cobram demais aquilo que não podem dar, não aceitam as suas falhas, não conseguem se abraçar. Cuidado.
Toda vez que você cobra demais dos outros e cobra demais de si, você está atribuindo a um pensamento uma realidade que ele não tem, ele não é real, ele é uma interpretação da realidade sujeita à múltiplas distorções.
Então, você tem de ser mais generoso consigo, se não for mais generoso consigo, como é que você vai desenvolver saúde
mental?

Se não for mais generoso com os outros, tolerante, brincar, ser mais bem humorado. Como você vai contribuir para que os outros tenham mais saúde emocional?
É impossível sermos carrasco dos outros e algoz de nós mesmos.

Augusto Cury

Leave a Reply